O cara do videoclipe!

A estética do videoclipe se popularizou muito nos anos 80 e foi nos anos 90 que teve o seu grande ápice. Como não tínhamos youtube para assistirmos aos clipes quando desse vontade, dependíamos dos meios de comunicação como a MTV, por exemplo, para desfrutarmos daquelas incríveis e rápidas imagens que seduziam nossos olhos. Hoje, com a internet acessível a todos, a geração MTV se viu um pouco perdida e durante alguns poucos anos o videoclipe perdeu força. Lady Gaga aproveitou o boom do Youtube e deu novo fresh a eles, revitalizando o gosto de assistirmos essa mídia tão poderosa pra cultura pop. Tudo isso para falar de um diretor que vem chamando atenção do mundo inteiro, primeiro pelo seu incrível talento e segundo pela sua pouca idade. Romain Gavras, 28 anos, é francês e filho do famoso diretor Constantinos Costa-Gravas, diretor grego que fez, magistralmente um cinema político e de denúncia nos anos 60. Julie Gravas é também filha de Constantino e diretora do aclamado filme “A Culpa é de Fidel”, ou seja, imagens em movimento e política só pode estar no sangue.
Diferente do pai e da irmã, Romain optou por seguir pelo caminho do videoclipe, reinventando essas imagens rápidas e fundindo o cinema ao clipe de maneira absurdamente inovadora e autoral. Seu primeiro clipe de sucesso foi Stress de 2008 da dupla francesa Justice e de lá pra cá seu nome só cresce a aparece cada vez mais. A cantora M.I.A já o chamou duas vezes para filmar seus clipes, o primeiro deles foi Born Free e mais recentemente Bad Girls. Agora é a vez de Jay Z e Kanye West apostarem nas imagens de Romain e lançaram No Church In the Wild, um clipe que tem tudo que esperamos dele; política, denúncia, violência e uma extrema vontade de mostrar a que veio! Sua nova empreitada é o cinema, com o filme, Notre Jour Viendra, com o ator francês Vicent Cassel. Alguém duvida que vai ser bom?



Comentários

  1. plus d'infos disse:

    Video gag sex au bon cul